domingo, 14 de janeiro de 2018

Impressionante


A minha impressão é a melhor possível,
Imprevisível e surpreendente criatura.
Jurar conhecê-la e sempre descobrir
Algo novo, nunca concluído, a ser dito.

Julgar saber tudo, mais adiante, constatar
Que ainda sei pouco, há muito a ser percebido.
Caminhar novas trilhas, becos, saídas,
Rodovias, avenidas, atalhos, caminhos, milhas,
Terreno ermo, baldio, pais novo, eu estrangeiro
Como se nunca tivesse conhecido, sabido,
Incerto, embora, percorrido longo trajeto.

(Fábio Murilo, 13.01.2018)

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

A Escolhida


Eu não preciso de mais ninguém, convicto,
Eu tenho você que só tem a ver comigo.
Mais ninguém eu persigo, já encontrei.
Abri a porta certa, estacionei, ancorei.
Todas as certezas me dizem, todas as raízes,
Todos os sóis, faróis, sinais, placas, avisos,
Indicam os risos que até agora não tive,
Todo o alivio de horas infelizes que caminhei
Sob sol inclemente a vagar, descontente
De tudo e todos, de pessoas vazias, comuns,
Que gentilmente me ofereciam só o esboço
Do que, agora, sem esforço, naturalmente me dá.

Fábio Murilo, 15.12.2017

sábado, 25 de novembro de 2017

Abstrato


O sentimento é um alazão selvagem,
É lava de vulcão, chuva de verão, voragem.
À flor da pele, é pele, compele, sensação.     
É emoção, motivo, reação, alívio, enlevo.
É intenso, propenso, autêntico, imprevisível.
Nada entende de razão, nem sentido.

É instintivo, irracional, impulsivo, ambíguo.
O resto é comedimento, receio, pretensão.
Segurar o ar nas bolhas de sabão.

Fábio Murilo, 23.11.2017

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Castanho


Teus olhos não são azuis, verdes, decerto,
Mas, nem é preciso de tão expressivos.
Há tantos azuis que nada dizem, opacos,
Iguais dias indecisos, ensolarados e nublados.
E certos esverdeados de fundo de poço,
De poças estagnadas igual a qualquer água.
Os teus são de um castanho advindo, refletidos,
Surgindo, meio tom, discretos, tímidos.
Afã das primeiras horas o dia construindo,
Leite no café derramado a lá cappuccino.

Fábio Murilo, 16.11.2017